Cálcio de leite e derivados

Porque o leite não é a melhor fonte de cálcio

Sendo um costume popular da nossa sociedade, muitas pessoas acreditam fielmente que sem a adição de leite na dieta alimentar, o corpo humano não estará completamente desenvolvido. Muitos nutrientes são necessários para manter o esqueleto saudável, afinal ele depende de cálcio e outras vitaminas e minerais absorvidos durante as refeições.

Ainda hoje há um consumo exagerado de laticínios na mesa do brasileiro, seja durante o período da manhã, servido com um bom café, ou na preparação de receitas mais elaboradas para o almoço e jantar, que podem levar até mesmo derivados como queijo ou iogurte.

Mesmo com os inúmeros intolerantes à lactose e o veganismo se tornando cada vez mais presente no cotidiano, essa ideia permanece enraizada na cultura como uma “verdade absoluta” repassada de geração em geração. E quando questionados, a maioria argumenta que a utilização excessiva é devido ao alto teor de cálcio presente nesses produtos. No entanto, existem controvérsias.

Entenda como o leite atua no organismo e porque ele não é a melhor fonte deste mineral como acreditamos.

Como o leite atua no organismo?

O consumo de cálcio é de extrema importância em todas as idades, sendo responsável por parte da composição e fortalecimento dos ossos. Esse mineral possui outras funções além da manutenção dos ossos, como a realização da contração muscular a partir de estimulações dentro das fibras musculares.

Mas como o leite, que é tão rico em cálcio, atua no nosso metabolismo? O excesso de proteína presente no leite de origem animal deixa o sangue mais ácido do que o normal. Para que o sangue fique estável novamente, o cálcio presente nos ossos é retirado pelo organismo e espalhado pela corrente sanguínea, causando fragilidade aos ossos após a retirada.

Esse fato ocorre porque ele tem função alcalinizadora no pH do sangue ,se combinado com outras substâncias, como o magnésio. O mesmo não acontece com os bebês porque o leite materno produz até três vezes menos proteínas do que o leite de vaca, por exemplo.

Apesar do leite ser um importante aliado na produção de cálcio, há outros alimentos que são ainda mais benéficos para a saúde. Mesmo não sendo tão ricos em cálcio quanto o leite, eles possuem outros nutrientes importantes que auxiliam na melhor absorção por meio do organismo.

Vale a pena consumir leite e derivados?

Ainda sobre a ingestão de leite, existem aspectos positivos e negativos a serem discutidos. Embora não seja a melhor fonte de cálcio, o leite não deixa de fornecer nutrientes que ajudam na prevenção de doenças como a osteoporose e a diabetes tipo 2, além de reduzir a pressão arterial. Mas no caso do leite de caixinha, a substância sofre um processo de pasteurização durante sua fabricação, que elimina boa parte dos nutrientes presentes e a torna ainda mais fraca.

De acordo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), no decorrer da vida a necessidade de cálcio pode variar, no entanto ela sempre estará na média de 1000 a 1500mg por dia. Deste modo, não é necessário eliminar o consumo do leite e derivados da sua rotina, mas procurar outras maneiras de adquirir o cálcio favorece a dieta e auxilia em uma alimentação mais equilibrada.

Por exemplo, a vitamina D – produzida durante a exposição ao sol e na ingestão de alguns alimentos – têm uma função importante nesse aspecto, pois ela melhora a absorção do cálcio pelo organismo. 

Por outro lado, substâncias como açúcares, cafeína e sódio em excesso, podem reduzir o índice do mineral. É importante ressaltar também que o consumo exagerado de qualquer alimento pode levar a sérios desequilíbrios na saúde do corpo.

As chances de doenças se desenvolverem se tornam bem menores ao consumir de forma equilibrada o cálcio e outras substâncias, como magnésio, vitamina K e D. Se por acaso o paciente desenvolver uma deficiência hormonal, doença autoimune ou de tireóide, o consumo desses alimentos pode desacelerar o seu desenvolvimento e o enfraquecimento dos ossos.

Como substituir a lactose?

Atualmente no mercado é possível encontrar boas opções para quem deseja substituir ou reduzir o consumo de lactose no dia-a-dia. Alimentos como legumes, verduras de cor escura e grãos como feijão e lentilha possuem nutrientes capazes de auxiliar no processo de absorção no organismo e servem de complementação para a dieta. 

Outra alternativa são os produtos sem lactose, que são feitos a partir de técnicas qualificadas para a quebra da lactase ou na inserção de outros ingredientes. Para quem gosta de leite, ainda podemos encontrar à venda versões feitas de coco, amêndoas ou soja, ambas com adição de cálcio na composição.

Vale ressaltar que além do hábito de se alimentar bem, a prática de exercícios físicos também deve ser rotineira para a garantia de uma vida plena e com bem-estar. Saiba como a atividade física ajuda a combater a fraqueza nos ossos!

Inscreva-se na newsletter

Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde

>>

    Inscreva-se na newsletter

    Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde