Porque a osteoporose reduz a qualidade de vida dos idosos

Com o envelhecimento da população, a osteoporose se tornou um grande desafio. Pesquisas apontam que a baixa densidade óssea é maior entre mulheres no pós-menopausa, mas os homens também sofrem com esse problema com o avançar da idade.

Isso acontece porque, com o passar dos anos, a queda dos níveis de estrógeno e testosterona também interferem na formação óssea. Se o idoso também não possui bons hábitos alimentares e não pratica atividades físicas, as chances de desenvolver osteoporose são crescentes. E essa doença, por afetar a autonomia, impacta muito na qualidade de vida dessa pessoa.

O impacto da osteoporose na qualidade de vida

A osteoporose causa algumas limitações para a vida do paciente, principalmente se a doença não for tratada. Um idoso que está acostumado a ser independente, cozinhar, ir à rua para fazer compras e ir ao banco, pode começar a sentir sua flexibilidade e capacidade de mobilidade reduzirem. Assim, é natural que esse idoso possa precisar de um acompanhante ou um cuidador com o tempo.

Essas limitações, porém, não são apenas funcionais.

Uma pessoa com ossos frágeis está sujeita a quedas e fraturas, o que é ainda mais grave no caso de idosos pela lentidão na recuperação. Por isso, é comum que o paciente fique com medo de cair, se sentir tenso, preocupado e ansioso. Esse medo pode levar o idoso a se limitar, deixando de realizar tarefas às quais estava acostumado.

Por esses motivos, é comum também que a pessoa idosa pare de sair de casa e se afaste socialmente, ficando mais reclusa, o que afeta sua autoestima. Porém, a sociabilidade é muito importante em qualquer tratamento, inclusive para a superação desses medos. O apoio dos amigos e, principalmente, da família é fundamental.

Porém, nem todo idoso está aberto a receber ajuda ou entende a importância do tratamento. Por isso é preciso ter paciência, educá-lo quanto aos cuidados que a doença exige e fazer as adaptações necessárias de forma que ele não se sinta ofendido ou desmotivado.

O que é preciso adaptar

Em geral, as mudanças serão indicadas pelos próprios médicos, como adaptação da alimentação e adesão à atividade física. Mas outro ponto fundamental é preparar sua casa para reduzir os riscos de quedas. Confira as dicas a seguir.

Alimentação

Para combater a osteoporose, a alimentação precisa ser equilibrada e deve incluir alimentos ricos em cálcio e vitamina D. Porém, a maior parte dessa vitamina é adquirida através da exposição ao sol. Portanto, tomar sol por cerca de 15 minutos todos os dias é fundamental. Cuidado, porém, com os raios ultravioletas (UV). O ideal é que a exposição ao sol seja antes de 10 horas ou após as 16 horas.

Atividade física

O sedentarismo é um grande inimigo dos ossos, pois acelera a perda de densidade óssea. Mas quando se pratica uma atividade física, você está estimulando a formação óssea, aumentando a flexibilidade e a força muscular, além de melhorar a coordenação motora. No entanto, não é qualquer atividade que faz diferença para os ossos.

Para a prevenção da osteoporose, costuma-se indicar exercícios de impacto. Porém, esse modelo pode não ser o ideal para pessoas idosas, pois pode prejudicar as articulações. É preciso fazer uma avaliação médica para saber o que é melhor para cada paciente. Mas em geral, são indicados exercícios leves como caminhada, dança ou fisioterapia. Há estudos que investigam também a eficácia de um modelo mais intenso de hidroginástica.

Busque trabalhar também o sistema cardiorrespiratório para reduzir os níveis de ansiedade. Atividades que envolvam sociabilidade são recomendadas para manter uma boa saúde mental.

Adaptação da casa

Outra mudança fundamental para evitar quedas é adaptar a própria casa para reduzir os riscos de acidentes domésticos. Isso significa tornar o ambiente com menos obstáculos que levam à queda, além de colocar os objetivos de uso regular em locais mais acessíveis.

É preciso ter um cuidado especial com tapetes, escadas, pisos escorregadios e molhados. Mantenha também os ambientes bem iluminados, sobretudo à noite.

Inscreva-se na newsletter

Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde

>>

    Inscreva-se na newsletter

    Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde