Osteoporose: posso abandonar a lactose?

Um dos grandes segredos para o combate à Osteoporose é o consumo de cálcio. Esse mineral é o principal componente dos ossos, responsável por mantê-los fortalecidos. Já a falta desse mineral pode levar à perda de densidade óssea, tornando os ossos vulneráveis a fraturas. Por isso, o consumo de cálcio em todas as idades é imprescindível.

No entanto, muitas pessoas têm abandonado a lactose como uma alternativa de vida saudável. Enquanto outras pessoas, diagnosticadas com intolerância à lactose, enfrentam dificuldades na ingestão de leite e laticínios. Mas se o cálcio é tão importante para evitar a Osteoporose e o leite é a principal fonte desse mineral, eu posso abandonar a lactose?

Entenda qual a importância do leite para o organismo e como substituir os laticínios de maneira saudável.

A lactose faz falta para o organismo?

Os especialistas vêm observando na atualidade mudanças de hábitos que levam à alimentação restritiva. Isso inclui também o leite de origem animal, na crença de que os seres humanos não deveriam consumir esse alimento na fase adulta.

Porém o leite e seus derivados, como queijo e iogurte, ainda são as principais fontes de cálcio, que fortalecem os ossos. Por isso, não se recomenda que esses alimentos sejam retirados da dieta, a fim de combater a Osteoporose e outras doenças como a diabetes tipo 2, pressão alta e síndrome metabólica.

Diariamente, precisamos de cerca de 1.000 mg/dia de cálcio. E o leite de vaca ainda é considerado a melhor opção, sendo as versões desnatada e semi-desnatada ainda mais ricas nesse mineral.

Além do fator nutritivo, o consumo de leite também é incentivado por já fazer parte do dia-a-dia da população brasileira. Ele está presente em diversas receitas e tem preço mais acessível que outros alimentos.

Quando é válido deixar de consumir a lactose?

Quando o organismo tem restrições à lactose, não há alternativa. Para quem é diagnosticado com intolerância à lactose, o consumo desse açúcar natural do leite pode causar sintomas desagradáveis e complicações gástricas. São comuns quadros com distensão abdominal, acúmulo de gases e fezes amolecidas.

Geralmente esses pacientes apresentam déficit da enzima lactase, responsável pela quebra da lactose. Em um organismo saudável a lactose seria quebrada gerando galactose e glucose, monossacarídeos que conseguem ser absorvidos pelo sistema digestivo.

Por conta dessa deficiência, pessoas com intolerância à lactose precisam adequar sua alimentação para garantir o consumo de cálcio. Para isso, é necessário passar por avaliação médica e pode ser indicado também o acompanhamento com um nutricionista. Em alguns casos, reduzir o consumo de leite e laticínios já resolve o problema.

Como substituir a lactose?

Para cortar ou reduzir o consumo da lactose é necessário fazer substituições. Alguns produtores de laticínios já oferecem opções de produtos sem lactose, aplicando técnicas para quebrar a lactose ou utilizando ingredientes diferentes do leite. Alternativas como leite de soja e de amêndoas também podem apresentar versões fortificadas com cálcio.

A dieta deve ser complementada por vegetais de folhas verdes-escuras, legumes, nozes, sementes, sardinha, feijão branco e produtos de farinha branca. Já os alimentos ricos em vitamina D são importantes para auxiliar na absorção do cálcio pelo organismo.

Aliás, é muito importante que se crie o hábito da boa alimentação e a prática de exercícios físicos ainda na infância, a fim de garantir a qualidade de vida ao longo prazo. Tanto o consumo de bebidas alcoólicas quanto de cigarros não são recomendados.

Entenda qual o papel da alimentação no combate à Osteoporose.

Inscreva-se na newsletter

Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde

>>

    Inscreva-se na newsletter

    Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde