Quais são os tratamentos para Osteoporose?

A Osteoporose é uma doença que pode ter diversas causas, seja o avanço da idade, a chegada da menopausa ou a decorrência de outras doenças. Por isso, a escolha do tratamento depende da origem.

Quando se trata de Osteoporose secundária, além de combater a fraqueza dos ossos, é necessário tratar a doença que levou ao desenvolvimento deste quadro. Pode ser uma diabetes tipo 2, artrite reumatóide ou câncer de mama, por exemplo. Por isso, apenas o médico especialista pode avaliar qual o tratamento mais adequado para o paciente.

No entanto, existem algumas recomendações que são comuns: uma boa alimentação, banho de sol, exercícios físicos e, no caso das mulheres, o tratamento hormonal.

A seguir, vamos comentar sobre cada uma dessas etapas de tratamento. Mas antes, precisamos entender se a Osteoporose é uma doença curável.

Osteoporose tem cura?

Quando é feita a prevenção da Osteoporose, tanto o médico quanto o paciente se atentam aos fatores de risco. Os principais são: histórico familiar, idade, sexo, IMC (Índice de Massa Corporal), sedentarismo, uso de medicamentos com corticóide, consumo de cigarro e bebidas alcóolicas e a existência de doenças crônicas.

Para observar as chances do paciente sofrer uma fratura nos próximos dez anos, também é possível fazer uso de uma calculadora chamada FRAX. Essa ferramenta indica a chance da fratura acontecer, levando em conta as características citadas anteriormente.

Mas o acompanhamento e o diagnóstico só acontece por meio do exame de densitometria óssea, que irá medir a densidade óssea do paciente. Esse número alega se os ossos estão ficando fracos e porosos, especialmente nas regiões da lombar e do fêmur, onde a incidência de fraturas pode gerar consequências graves.

Um paciente com Osteoporose pode não saber que possui a doença até que algum osso se quebre. Só então, ele sentirá sintomas como dor e dificuldade de locomoção, levando à necessidade de tratamento.

Essa condição, porém, não tem cura. O tratamento é voltado para a redução dos sintomas e a desaceleração da perda de massa óssea. Veja a seguir algumas formas de atingir esses resultados.

Formas de tratamento da Osteoporose

1. Alimentação adequada

A primeira mudança de hábito que o médico irá recomendar para tratar a Osteoporose é na alimentação. Para fortalecer os ossos, é necessário proporcionar ao organismo cálcio suficiente. Em geral, precisamos consumir cerca de 1 grama desse mineral por dia para manter os níveis adequados.

No entanto, além de consumir o cálcio, precisamos garantir que esse nutriente seja absorvido de maneira adequada. A vitamina D tem o potencial de aumentar os índices de absorção do mineral, por isso este é um hormônio muito importante e que também pode ser adquirido através da alimentação.

Um paciente que deseja prevenir ou tratar a Osteoporose, precisa de uma dieta equilibrada com a presença de leite e derivados, peixes de águas profundas, hortaliças de folhas verdes e ovos. Confira outras indicações de alimentos neste artigo e consulte um nutricionista para que seja feita uma dieta personalizada para o seu caso.

Pessoas que possuem intolerância à lactose também precisam readequar a alimentação para não sofrer com a falta de cálcio. Quando a mudança na alimentação não for suficiente, o médico pode indicar o uso de suplementos.

2. Rotina de exercícios físicos

O sedentarismo é um grande inimigo na prevenção da Osteoporose. Por isso, pessoas idosas ou pacientes acamados podem ter mais dificuldade em aderir a esta importante etapa do tratamento.

A atividade física possui diversos benefícios, entre eles o fortalecimento da musculatura e dos ossos, a melhora do equilíbrio, da flexibilidade e do bem-estar. Essa é uma ótima receita para evitar quedas e melhorar a autoestima do paciente.

A indicação dos exercícios físicos deve ser feita pelo profissional de educação física ou fisioterapeuta, após uma avaliação médica. Ele irá levar em consideração o condicionamento físico e as possíveis limitações do paciente.

3. Exposição ao sol

Embora a vitamina D também possa ser ingerida na alimentação, 80% da quantidade que precisamos é adquirida através da exposição ao sol. Por isso, os médicos recomendam que todas as pessoas tomem banho de sol durante cerca de 15 minutos por dia.

O indicado é se expor ao sol no início da manhã, antes das 10 horas, ou no fim da tarde, após 16 horas. Esses são os períodos em que os raios UV estão mais fracos e não prejudicam a saúde da pele. O ideal é que não seja utilizado protetor solar para que a aquisição da vitamina D seja mais eficiente.

4. Medicamentos

Quando as mudanças na alimentação e na rotina de exercícios não são suficientes, o médico pode prescrever medicamentos. Eles podem ajudar a reduzir a velocidade com que a perda de massa óssea acontece e estimular a reconstrução do esqueleto.

Para isso, é comum a utilização de medicamentos da classe bifosfonato. Essa substância já possui eficácia comprovada no aumento da massa óssea especialmente nas regiões do quadril e da coluna.

Outra substância que pode ser indicada é a calcitonina, que reduz os níveis de cálcio no sangue e, consequentemente, a velocidade de decomposição dos ossos.

Qualquer medicamento só pode ser administrado após prescrição médica e seu uso deve ser acompanhado pelo profissional especializado. Vale lembrar que o paciente deve evitar o consumo de álcool, tabaco e drogas para obter melhores resultados e não comprometer mais a saúde.

5. Terapia hormonal

Os hormônios sexuais também tem um papel importante na absorção de cálcio pelos ossos, por isso as mulheres sofrem com a aceleração da perda de massa óssea após a menopausa. Afinal, nesse período os níveis de estrogênio caem, já que os ovários deixam de produzi-lo.

Para contornar o problema, algumas mulheres podem optar pela Terapia de Reposição Hormonal (TRH), com prescrição e acompanhamento médico. No entanto, essa alternativa não é indicada para todos os casos. A terapia é contraindicada para mulheres que possuem risco de desenvolver o câncer, por exemplo.

Para saber mais sobre a reposição hormonal leia nosso artigo.

A pandemia da Covid-19 impactou sua rotina e está interferindo no tratamento da Osteoporose? Confira algumas dicas sobre como tratar a doença nesse período.

Inscreva-se na newsletter

Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde

>>

    Inscreva-se na newsletter

    Receba dicas da Osso Forte para cuidar da sua saúde